anel de formatura

Anel de formatura: de onde surgiu a tradição?

 

Para muita gente, sobretudo no caso daqueles que têm gosto por seguir as tradições, o anel de formatura significa a materialização do sonho de se tornar um profissional, enfim realizado com a conclusão de um curso específico. É um verdadeiro presente, que marca o início de uma nova jornada, conquistada graças a muito estudo e esforço na formação.

E isso não é só aqui no Brasil, uma vez que os anéis de formatura estão inseridos na cultura de vários outros países. Mas como será que essa tradição começou? É justamente sobre isso que falaremos nesse post. Acompanhe e saiba mais sobre a tradição dos anéis de formatura!

Um pouco de história

A referência mais antiga sobre o uso de um anel de formatura data de 1835, nos Estados Unidos. Mais precisamente dentro da academia militar de West Point. Os anéis, nesse caso, eram usados para que a turma de formandos fosse assim identificada.

O anel foi criado com a intenção de que os alunos da academia, de alguma maneira, lembrassem dos valores e ideais ensinados na escola, que era tida como uma das de maior prestigio naquela época — que era, então, a única academia militar dos Estados Unidos. A ideia popularizou-se entre alunos de outras instituições, e foi aí que teve início a tradição dos anéis de formatura que conhecemos hoje em dia.

Como eram os primeiros anéis de formatura

O design dos primeiros anéis de formatura era quadrado, bem semelhantes a um anel de sinete. Ao invés de carregar o símbolo do curso, como nos dias atuais, na ocasião o anel de formatura trazia o emblema da instituição de ensino onde o profissional estudou e se formou. Com o passar do tempo esse design foi sendo modificado, e cada instituição superior constituiu novos formatos de anéis.

Outras curiosidades do anel de formatura

O uso de determinada pedra no anel costuma ser incentivado entre algumas profissões. A ideia é mostrar o vínculo entre as pessoas da mesma área. A escolha dessas pedras e a determinação para cada uma das áreas profissionais se dá conforme os significados das pedras na tradição do Ocidente. Por exemplo, o rubi é a pedra vermelha que representa o dom da palavra, seja escrita ou falada. Por essa razão, cursos como os de Direito e Jornalismo costumam atribuir o rubi como a pedra central de seu anel de formatura.

A esmeralda, que é uma pedra esverdeada, relaciona-se com a saúde, natureza e a cura. Por isso, costuma ser atribuída a cursos como Medicina, Enfermagem, Nutrição, Veterinária, Fisioterapia e Bioquímica. Já a safira azul, apesar de ser conhecida como a pedra das Ciências Exatas (como as áreas de Engenharias), também é muito apropriada para o anel de formatura dos cursos de Artes e Comunicação.

Os anéis de formatura exprimem uma tradição que se mantém viva, mesmo com as mudanças culturais. Ainda é o símbolo da consolidação de uma formação profissional, dando mais sentido à joia. Ela se torna assim um presente incrivelmente especial, normalmente dada pelos pais ou padrinhos do formando.

Gostou de conhecer melhor a história da tradição dos anéis de formatura? Adquira já o seu na WM Joias!